terça-feira, 21 de julho de 2015

Somos todos hipócritas

Há quem diga que estamos virando a página da impunidade na história do Brasil. Não acredito...o sistema não permite, a conta não fecha, os pedidos não cessam. É uma ajudinha pra comprar o remédio que o estado não consegue fornecer. Uma "ajuda de custo"para tirar carteira de motorista. Tem também o pedido para arrumar a telha ou um cimentinho para construir a casa. Não interessa, o safado do político tem que ajudar. Ora ora ora...ele ganha um mundão de dinheiro, auxílio-moradia, diária e não quer pagar nem meu almoço? Mas que pouca vergonha. É por isso que o país está assim! Cabra-safado. Mas não não..eu sou empresário sério. Sonego imposto porque eles só roubam e não investem naquilo que precisamos. O que eu faço pra mudar minha realidade? NADA, odeio política! Somos todos hipócritas!

quarta-feira, 8 de julho de 2015

Insônia

Insônia é a sensação de culpa pelo sono que não vamos ter. É o cansaço antecipado do dia seguinte. O olhar cansado que vai doer ao enxergar o sol. As sei lá quantas xícaras de café no trabalho. O dia interminável. A análise em silêncio se valeu a pena passar uma noite sem melatonina. É o coração acelerado sem paixão. É a vontade de escrever tudo aquilo que o sono não deixaria. A porta aberta para a criatividade. Insônias melhores virão.

segunda-feira, 6 de julho de 2015

A moda do politicamente correto

Você está em dia com a moda? Então tenho certeza de que você é uma daquelas pessoas vigilantes das atitudes politicamente corretas. A regra número um é: não estacione na vaga de deficiente físico. Se você fizer isso, fará parte do pior da sociedade, da escória mesmo. Os vigilantes politicamente corretos estão em toda parte. Eles são seres humanos interessantes. Cuidam da atitude alheia, com maestria, mas descuidam da educação. Outro dia uma amiga contou que estava parada em uma vaga de deficiente e passou uma mulher e a xingou de tudo, inclusive de brasileira. Ora, ora, ora. #somostodosbrasileiros É moda também defender os direitos individuais nas redes sociais, mas se você sentar para conversar com 50% de todos aqueles que trocaram a fotinho no face pela bandeira colorida, vai escutar um discurso conservador e nada a favor do casamento gay. Está na moda ser politicamente correto. E assim nossos parlamentares vão inventando projetos de lei. Outro dia li que existe um projeto para que pessoas obesas tenham preferência nas filas. Mais uma seara para os vigilantes da vida politicamente correta se aventurarem e ocuparem o precioso tempo que têm. Mas os vigilantes mais xiitas mesmo são aqueles dos direitos animais. Outro dia no Pavilhão da Bienal, em São Paulo, fui agredida com palavras de baixo calão, dentre as quais puta foi a mais amena, porque eu estava usando um colete de pele de coelho. Não respondi nem um ai. Não valia a pena comprar a briga. Mas uma senhora me defendeu: "que direito essa menina tem de defender um animal, se ela não respeita o próprio ser humano?". Me senti melhor. No mundo que vivemos hoje, ter respeito e educação pelo espaço e ideia alheia é a melhor vigilância que podemos difundir.